Mobiliário de Casa

Ordenar crescente por preço
ordem preço
crescente
Ordenar decrescente por preço
ordem preço
decrescente
Ordenar por nome
ordem
alfabetica
todos
novidades
top
vendas
promoções

Mais informações sobre Mobiliário de Casa

Saiba mais sobre mobiliário de casa ou móveis para casa.......


História dos Móveis: A ideia principal da mobília, sendo posteriormente mobiliário de casa ou móveis para casa.

A história dos móveis, mobiliário de casa ou móveis para casa, desenvolve-se à partir do momento em que o Homem deixa de ser nômade, ou seja, desde o momento em que passa a possuir uma habitação fixa, e acompanha a sua história política, social e artística até à atualidade. Ao longo do tempo, os móveis foram evoluindo ao lado das necessidades humanas, a capacidade técnica e a sua sensibilidade estética. Deste modo a sua caracterização varia muito de acordo com a região e a época, podendo-se fazer uma divisão por períodos ou estilos que se inserem mais ou menos dentro dos grandes movimentos da história da arte.

Nessa série iremos estudar toda a história dos móveis, desde suas criação em determinadas pontos do mundo até a sua atualidade.


Móveis na Antiguidade e Antiguidade Clássica.

Skara Brae

Estima-se que os primeiros móveis foram construídos no Reino Unido, em Skara Brae, que é uma povoação em pedra, datada do período final do neolítico 3100 a 2500 a.c.. As lajes de pedra serviam de mobília para criar prateleiras, arcas, camas, mobiliário de casa ou móveis para casa.. Essa foi a ideia elementar dos móveis.


Antigo Egito

Uma das primeiras sociedades a utilizar móveis foi o Egito. Preservar os mortos e seus pertences possibilitou a descoberta de vários móveis em tumbas como a da Rainha Hetepheres e a do jovem faraó Tutankhamon, tal tradição de mumificar pessoas dizem que passou, mas os desenhos dos móveis ainda continuam o mesmo.

Desde os tempos mais primórdios, os egípcios já utilizavam grande parte dos modelos de móveis que conhecemos hoje, como bancos, cadeiras, camas e mesas. A mobília egípcia divide-se em móveis cerimoniais, associados à representação de poder, com uso de simbolismos, como por exemplo, o trono. E a mobília utilitária, como as camas, bancos pequenos e apoios para cabeça. Hoje não é muito diferente, não?

Os tronos e cadeiras cerimoniais eram revestidos a ouro e/ou prata, já a mobília utilitária possuía pouco acabamento, permanecendo com a cor natural da madeira. O interessante é que mesmo há mil anos atrás, os artesãos egípicios já conheciam sistemas de encaixes para madeira. Para complementar, a decoração egípicia era feita com pedras preciosas, ouro, prata, ébano, marfim, vidro e cerâmica.


Grécia

Não há muitas informações sobre o mobiliário grego como os egípicios, mas pelo que sabemos, os gregos prezavam pelo conforto, pois desenvolviam móveis que se adaptavam perfeitamente ao corpo. Havia também uma divisão bem clara para cada ocasião, por exemplo, existiam cadeiras para serem usadas em cerimonias ao ar livre, como a kline e outra para o uso diário, como a cadeira klismos, direcionada ao público feminino. Os gregos também usavam pequenas mesas, para fazer as refeições e colocar objetos. Os pertences eram pendurados nas paredes ou guardados em arcas e armários.

Roma

O mobiliário romano é derivado do móvel grego, mas distingue-se pelo luxo e pelos materiais nobre, como o bronze e o mármore. Os móveis romanos possuem grande variedade de tipos, divididos também entre o uso comum e o uso cerimonial.

Os romanos criaram alguns modelos, como a cadeira semi-circular e as mesas pequenas tripés, usadas para refeições. O vocabulário decorativo do mobiliário, (mobiliário de casa ou móveis para casa.) inclui os característicos pés com forma de patas de leão e também cariátides e outras figuras mitológicas que sustenta as pernas de mesas.

Entre os móveis de assento, o Lectus era um dos mais importantes, presente na maioria das casas romanas. Suas funções eram variadas: descanso, refeições, bate-papo… Utilizado como assento e repouso, sobretudo em cerimônias e banquetes. Confeccionado em madeira, tinha uma cabeceira desenhada com motivos decorativos em bronze, que servia como apoio para o braço quando se estivesse recostado.

Já a Cattedra era uma cadeira com encosto, geralmente usada pelas mulheres e idosos.Este modelo é adotado posteriormente no período medieval, no espaço religioso. Mais um móvel de assento utilizado pelos romanos era a Sella Curulle, um modelo sem encosto, derivado dos bancos, com dimensões generosas.


Outros modelos de móvel de assento são representativos da suntuosidade e da solidez dos móveis desenvolvidos pelos romanos. Por exemplo os pés com forma de pata de leão e o encosto semi-circular. Entre os móveis romanos destacam-se os modelos utilitários, como algumas mesas e braseiros. As mesas utilizadas em áreas externas eram geralmente confeccionadas em bronze e mármore no tampo. As pernas eram ornamentadas com figuras decorativas e cariátides.


A Ricardo & Vaz tem uma vasta gama de mobiliário de casa ou móveis para casa.